"Amplitudes" mostra obras da Argentina, Equador e Japão no Museu Olho Latino

obra de fernando torres
Obra de Fernando Torres.
 
Atibaia: O Museu Olho Latino apresenta a exposição “Amplitudes”, composta por gravuras de 8 artistas, de 16 de março a 29 de maio, mostrando aspectos internacionais de seu acervo, com representação da Argentina, Equador e Japão.
 
 
Alda Armagni
 
Obra de Alda Armagni.
 
“Amplitudes” é uma mostra coletiva com artistas que representam possibilidades de estilos que fazem o Acervo Internacional do Museu Olho Latino ser tão significativo.  Participam da mostra os seguintes artistas: Alda Armagni e Robert Koch (Argentina); Fernando Torres (Equador); Chieko Kaneko, Michico Hoshino, Myayama Hiroaki, Michiharu Okamoto e K. Awita (Japão).
 
Todos os artistas têm carreira internacional e são premiados em várias bienais de gravura. O artista mais conhecido do público de Atibaia é o equatoriano Fernando Torres por ter realizado mostra individual no Museu Olho Latino em 2012.
 
Fernando Torres
Fernando Torres.
 
Para o curador Paulo Cheida Sans essa exposição mostra “amplitudes” diferentes na arte da gravura. As obras têm características distintas entre os artistas, que apresentam seus aspectos criativos e que, de algum modo, representam a tradição cultural de seus países.
 
A mostra poderá ser visitada até 29 de maio no Museu Olho Latino, 1º piso do Centro de Convenções e Eventos “Victor Brecheret”, localizado na Al. Lucas Nogueira Garcez, 511 - Parque das Águas – em Atibaia, SP.
 
A realização da mostra é do Museu Olho Latino e Secretaria de Cultura e Eventos da Prefeitura de Atibaia.
 
Convite amplitudes museu olho latino
 
(clique na imagem para ampliar) 
 
Exposição: Amplitudes.
Expositores: Alda Armagni e Robert Koch (Argentina); Fernando Torres (Equador); Chieko Kaneko, Michico Hoshino, Myayama Hiroaki, Michiharu Okamoto e K. Awita (Japão).
Curadoria: Paulo Cheida Sans.
Período: 16 de março a 17 de abril de 2015 (prorrogada até 29 de maio).
Visitação: de terça a sexta-feira, das 09h às 17h.
Entrada gratuita.
Local: Museu Olho Latino – 1º piso do Centro de Convenções e Eventos "Victor Brecheret".
Endereço: Al. Lucas Nogueira Garcez, 511 - Parque das Águas - Atibaia, SP.
Realização: Museu Olho Latino e Secretaria de Cultura e Eventos da Prefeitura de Atibaia.

 

fonte: Portal Olho Latino

 

A exposição "Aconchego" mostra obras do Museu Olho Latino

Nestor Lampros olho latino aconchego
Obra de Nestor Lampros.
 
Atibaia: O Museu Olho Latino apresenta a exposição “Aconchego”, composta por obras de 6 artistas, de 16 de março a 10 de abril, como uma vertente de seu acervo de pinturas e fotografias.
 
“Aconchego” é uma mostra coletiva com artistas que simbolizam e representam o contato do ser humano com o mundo. O tema da mostra foi inspirado na obra de um dos expositores, Nestor Lampros, que representa em sua pintura o “amor’, o “carinho” e a proteção”. O curador Paulo Cheida Sans diz que as obras escolhidas, na maioria, são voltadas para a solidariedade. Participam da mostra os seguintes artistas: Dimas Garcia, Lorena Hollander, Milton Mota, Piki (Maria Aparecida Bueno de Mello), Nestor Lampros e Regina Piglialarmi.
 
Sobre os artistas:
 
A exposição tem obras de duas artistas falecidas, Piki e Regina Piglialarmi, que participaram de várias mostras e em comum tiveram a afinidade com a docência artística. Tiveram ateliês independentes e incentivaram a carreira de jovens artistas. Piki nasceu em Campinas e Regina no Rio de Janeiro.
 
Dimas Garcia reside em Campinas e é artista veterano, tendo sido contemplado em edital Funarte para expor no Rio de Janeiro em 1983, merecendo grande destaque na ocasião que o consolidou como um artista de estilo próprio e sóbrio. Participou de inúmeras exposições como artista e também como agente cultural, totalizando em mais de 50 anos de carreira, cerca de 1.500 participações.
 
Milton Mota, outro artista veterano, reside em Paraty, RJ, e participou de várias exposições, tendo obras em vários acervos, como o MAC Internacional da Bahia e o Museu de Coruche em Portugal.
 
Nestor Lampros é de Atibaia e é conhecido no meio artístico como professor, artista plástico, ilustrador, cartunista e poeta. Cursou pós-graduação em Arte Educação na FAAT. Mantém uma produção artística intensa e tem se destacado pelo seu peculiar estilo artístico.
 
Lorena Hollander aconchego olho latino
Obra de Lorena Hollander.
 
A paulistana Lorena Hollander é artista plástica e musicista. Atua profissionalmente no cenário das artes plásticas desde 2003, quando começou a participar de salões e mostras no Brasil, China e Europa, como a III Bienal de Artes Brasileiras de Bruxelas. 
 
A mostra Aconchego poderá ser visitada até 10 de abril no Museu Olho Latino e Centro de Convenções e Eventos “Victor Brecheret”, localizado na Al. Lucas Nogueira Garcez, 511 - Parque das Águas – em Atibaia, SP.
 
ConvAconchego p
(clique na imagem para ampliar)
 
Exposição: "Aconchego".
Expositores: Dimas Garcia, Lorena Hollander, Milton Mota, Piki (Maria Aparecida Bueno de Mello), Nestor Lampros e Regina Piglialarmi.
Curadoria: Paulo Cheida Sans.
Período: 16 de março a 10 de abril de 2015.
Visitação: de terça a sexta-feira, das 09h às 17h.
Entrada gratuita.
Local: Museu Olho Latino – Centro de Convenções e Eventos "Victor Brecheret".
Endereço: Al. Lucas Nogueira Garcez, 511 - Parque das Águas - Atibaia, SP.
Realização: Museu Olho Latino e Secretaria de Cultura e Eventos da Prefeitura de Atibaia.

 

fonte: Portal Olho Latino

 

Museu Olho Latino expõe parte de seu rico acervo no MAC Campinas

olho latino mac campinas gravura brasileira
Vista parcial da mostra.
 
Campinas: O Museu Olho Latino expõe Gravura Brasileira – Recorte do Acervo Olho Latino – de 19 de março a 19 de abril, no Museu de Arte Contemporânea de Campinas. A mostra inaugura no dia 19 de março, às 20h, e é composta por mais de 80 obras de artistas consolidados na história da gravura brasileira.
 
O Museu Olho Latino foi fundado em Campinas pelo casal de artistas Celina Carvalho e Paulo Cheida Sans no ano de 2001. Atualmente possui em seu acervo mais de 1000 gravuras de vários países, principalmente da América Latina, e tem sua sede de exposições na Estância de Atibaia, SP.
 
Para esta mostra no MAC Campinas, o Museu Olho Latino apresenta parte das preciosidades de seu acervo nacional, constituído, em sua maioria, por doações dos próprios artistas e por aquisições provindas das premiações das Bienais de Gravura Olho Latino. São obras de importantes artistas, representantes de vários estados, e compõem uma parcela significativa da arte da gravura brasileira.
 
A mostra Gravura Brasileira – Recorte do Acervo Olho Latino - está dividida em três segmentos que se completam. No primeiro momento destaca- se a representação com maior quantidade de obras expostas que é a coleção J. Borges, artista gravador e cordelista considerado pelo jornal New York Times o “Gênio da Cultura Popular”. Esse artista também detém o título de Patrimônio Vivo recebido pelo Governo do Estado de Pernambuco. Suas obras são muito conhecidas e ganharam ainda maior repercussão na ocasião em que ilustraram a abertura da novela Roque Santeiro, da Rede Globo.
 
Noutro segmento estão cerca de 60 gravuras de 33 artistas consagrados pela história da gravura nacional, como a de Francisco Stockinger, cujas gravuras foram doadas pelo Museu de Arte do Rio Grande do Sul ao Museu Olho Latino no final do ano passado.
 
Xico Stockinger (1919 – 2009), como é conhecido, é considerado um dos maiores artistas plásticos brasileiros. Participou, entre inúmeras mostras, das VI, VII, VIII Bienal Internacional de Arte de São Paulo (1961, 63 e 65) e representou o Brasil na Bienal de Carrara, Itália, em 1962.
 
O terceiro segmento é composto por instalações do Grupo Olho Latino. A primeira exposição desse grupo aconteceu na Casa da América Latina da Universidade de Brasília em 1996. Atualmente, o grupo é formado por 9 artistas, na maioria, professores de Artes de Campinas e região.
 
O histórico do grupo tem um currículo expressivo, com mais de 80 mostras realizadas em São Paulo, Campinas, Santos, Americana, Jundiaí, Piracicaba, Curitiba, Recife e outras cidades nacionais, além de ter alcançado êxito em projetos latinos, tendo exposto no Museu de Arte do Convento Santo Domingo em Cusco, no Espaço Cultural da Biblioteca da Pontifícia Universidade Católica do Peru e na Galeria São Miguel do Instituto Peruano Norte Americano em Lima, Peru, e no C+C Espaço da Fundación Simón I. Patiño em La Paz, Bolívia.
 
As instalações do Grupo Olho Latino valorizam o uso da gravura em sintonia com outros materiais, transcendendo o habitual. Elas compõem uma apresentação significativa para que o público aprecie a qualidade e originalidade dessa equipe de artistas que trabalha seriamente anos a fio.
 
O contexto geral dos segmentos expostos oferece um panorama dos procedimentos técnicos da arte da gravura, mostrando xilogravuras, gravuras em metal, serigrafias, litografias e outros processos, além de assinalar importantes aspectos da gravura no contexto da arte contemporânea, conforme a opinião do curador da mostra, o artista Paulo Cheida Sans.
 
Gravura Brasileira poderá ser visitada até 19 de abril, no Museu de Arte Contemporânea “José Pancetti”, localizado à Rua Benjamin Constant, 1633, Centro, em Campinas, de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, aos sábados de 9h às 16h e domingos e feriados das 9h às 13h.
 
 
macc mac museu de arte contemporânea de campinas museu olho latino gravura exposição convite
(clique na imagem para ampliar)
 
Exposição: Gravura Brasileira – Recorte do Acervo Olho Latino
Curadoria da mostra: Paulo Cheida Sans.
Expositores: Alfonso Ballestero, Ana Calzavara, Antonio Henrique Amaral, Bernardo Caro, Célia Paulino, Cláudia Sperb, Dimas Garcia, Dulce Osinski, Evandro Carlos Jardim, Francisco Maringelli, Francisco Stockinger, Fúlvia Gonçalves, Hélio Leites, Hélio Shonmann, J. Borges, Jaider Laerdson, João Bosco, Jonathan Medina, Kenichi Kaneko, Leonor Décourt, Lucimar Belo, Marcelo Oliveira, Maria Bonomi, Mariko Kaneko, Marlene Crespo, Maurício Parra, Mauro Andriole, Miriam Tolpolar, Norberto Stori, Nori Figueiredo, Rogério Mourtada, Sérgio Lima, Valdir Rocha e Wilson Roberto da Silva. Grupo Olho Latino: Alex Roch, Celina Carvalho, Cibele Marion Sisti, Lisa França, Maricel Fermoselli, Paulo Cheida Sans, Suely Arnaldo, Walcirlei Siqueira e Young Koh.
Abertura da mostra: 19 de março, às 20h.
Período da mostra: 19 de março a 19 de abril de 2015.
Local: Museu de Arte Contemporânea “José Pancetti”
Endereço: Rua Benjamin Constant, 1633, Centro, Campinas.
Horário de visitação: de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, aos sábados de 9h às 16h e domingos e feriados das 9h às 13h. Entrada gratuita.
Organização e apoio: Museu Olho Latino.
Realização: MAC Campinas e Secretaria de Cultura da Prefeitura de Campinas.

 

fonte: Portal Olho Latino

 

Museu Olho Latino mostra esculturas de importante escultora

piki esculturas pinturas
 Vista parcial da mostra.
 
Atibaia: O Museu Olho Latino, localizado no Centro de Convenções “Victor Brecheret”, em Atibaia, SP, apresenta de 11 de fevereiro a 27 de março (prorrogada até 30 de abril) a exposição “Fé”, composta por esculturas da artista plástica Piki.
 
Piki é o pseudônimo artístico da artista plástica Maria Aparecida Bueno de Mello que faleceu em 2009, com 89 anos, em Campinas. Constam em sua formação artística que foi aluna e depois trabalhou com Thomaz Perina na Escola de Pintura de Campinas (1948-1949); estudou escultura com Lélio Coluccini (1954-1955) e posteriormente na Fundação Álvares Penteado, SP (1974), entre outros cursos. 
 
Fundou o Grupo Da Vinci e participou de exposições do Grupo Vanguarda de Campinas, um dos mais importantes movimentos de artes plásticas do interior do Estado de São Paulo na década de 60. Foi professora da disciplina Escultura no Curso de Educação Artística da PUC-Campinas.
 
Sua primeira exposição individual de pintura e escultura foi em 1957 no antigo (e demolido) Teatro Municipal Carlos Gomes em Campinas. Participou em mais de 50 exposições destacando-se, entre outras, o Salão Paulista de Arte Moderna em São Paulo e a Bienal Nacional de São Paulo. Foi uma artista ativa e em 2008, um ano antes de falecer, expôs no Museu de Arte do Parlamento de São Paulo.
  
PIKI
Piki.
 
Recebeu 12 prêmios, entre medalhas de prata, de bronze e menções honrosas em Salões de Arte e suas obras encontram-se em vários espaços em praças públicas em Campinas, Piracicaba, Valinhos e em outras cidades. Participou em diversos roteiros de arte por 10 países da Europa, no Peru, Bolívia, México, Estados Unidos, Chile e Argentina.
 
Obras de sua autoria estão inseridas em vários acervos, como no Museu de Arte Contemporânea de Campinas, na Unicamp e em outros do interior do Estado.
 
Após o falecimento da artista, a sobrinha Carmen Sílvia Erbolato, detentora do espólio artístico da Piki, doou várias pinturas e esculturas para o acervo do Museu Olho Latino, conferindo ao prof. Dr. Paulo Cheida Sans, que foi aluno e colega de trabalho da artista na PUC-Campinas, a função de mentor cultural dessas obras.
 
Conheça mais sobre as obras da artista.
 
O curador Paulo Cheida escolheu para a exposição esculturas, a maioria feita na década de 70. Cheida diz que “são peças que demonstram a ‘fé’ da artista no amor e na religião. As obras da escultora demonstram uma ‘leveza’ estilística ao tratar as fisionomias e posturas das personagens que criava”.
 
Vale conferir a qualidade das obras da artista. A exposição pode ser visitada até 27 de março (prorrogada até 30 de abril), de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, na Al. Lucas Nogueira Garcez, 511 - Parque das Águas – em Atibaia, SP.
 
Convite fe piki escultura

 

Exposição: “Fé” – esculturas da artista Piki (Maria Aparecida Bueno de Mello)
Curadoria: Paulo Cheida Sans.
Período: 11 de fevereiro a 27 de março de 2015. (prorrogada até 30 de abril de 2015)
Visitação: de segunda a sexta-feira, das 09h às 17h.
Local: Museu Olho Latino - Centro de Convenções e Eventos "Victor Brecheret".
Endereço: Al. Lucas Nogueira Garcez, 511 - Parque das Águas - Atibaia, SP.
Realização: Museu Olho Latino e Secretaria de Cultura e Eventos - Prefeitura da Estância de Atibaia.

 

fonte: Portal Olho Latino

 

Museu Olho Latino é reinaugurado e lança catálogo digital do acervo nacional

reabertura museu olho latino
Cena da reabertura.
 
Atibaia: Juntamente com a reinauguração do Centro de Convenções “Victor Brecheret”, o Museu Olho Latino retornou suas atividades em sua sede em Atibaia, SP, com duas mostras simultâneas abertas no dia 20 de novembro às 20h. Estiveram presentes os diretores e fundadores do Museu, Paulo Cheida Sans e Celina Carvalho, o prefeito Saulo Pedroso de Souza, o Secretário de Cultura Luís Otávio Fritolli, autoridades, artistas e um grande público que puderam apreciar uma apresentação musicial da Faminha – Fanfarra Municipal de Atibaia e um show intimista da Big Band, sob comando do renomado maestro Roberto Sion. O Centro de Convenções sofreu reforma e adaptações desde 2013, melhorando a área externa e os acertos de manutenção no prédio.
 
Na ocasião, além da abertura das duas exposições simultâneas, aconteceu o lançamento do Catálogo Digital do Acervo Nacional do Museu Olho Latino. No térreo está exposta a mostra “Coleção J. Borges”, que traz 15 xilogravuras que o Museu Olho Latino possui desse artista, constituindo uma das coleções mais importantes do museu.  Em 2005, José Francisco Borges, conhecido como J. Borges, recebeu do Estado de Pernambuco o título de Patrimônio Vivo e em 2006 foi considerado pelo jornal New York Times o “Gênio da Cultura Popular”.
 
Reabertura atibaia centro de convecoes museu olho latino
Cena da reabertura.
 
A outra exposição, no 1º piso, “Simbologias da Vida” é uma mostra coletiva com artistas que simbolizam e representam a variedade de estilos que faz o Acervo Nacional do Museu Olho Latino ser tão expressivo.  Ao todo são 10 artistas os autores das gravuras que compõem essa segunda mostra: Celina Carvalho (Campinas, SP), Cláudia Sperb (Novo Hamburgo, RS), Evandro Carlos Jardim (São Paulo, SP), Glenn Hamilthon (Atibaia, SP), Hélio Schonmann (São Paulo, SP), Marlene Crespo (São Paulo, SP), Miriam Topolar (Porto Alegre, RS), Norberto Stori (São Paulo, SP), Rogério Mourtada (Campinas, SP) e Sérgio Lima (Fortaleza, CE).
 
Durante a abertura, o curador Paulo Cheida Sans falou sobre a importância da gravura na Arte, comemorando o lançamento do catálogo digital do Acervo Brasileiro Olho Latino, cujo projeto conta com o apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura - Programa de Ação Cultural 2013.
As exposições estão abertas para o público até 19 de dezembro com entrada gratuita. O Museu Olho Latino e Centro de Convenções e Eventos “Victor Brecheret”, estão localizados na Al. Lucas Nogueira Garcez, 511 - Parque das Águas – em Atibaia, SP.

 

fonte: Portal Olho Latino